NOTÍCIAS

Prefeitura de Cuiabá | Programa Pit Stop alcançou cerca de 50 espaços de lazer com manutenções preventivas e corretivas

Cerca de 50 espaços e lazer de Cuiabá foram atendidos com ações de manutenção preventiva e corretiva por meio do programa Pit Stop, no período de novembro de 2022 a abril de 2023. A atividade foi criada pela gestão Emanuel Pinheiro e é realizada via Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb).

As operações são executadas seguindo uma programação montada pela Diretoria de Zeladoria e alcançam todas as regiões da cidade. O trabalho é feito diariamente e conta com quatro equipes preparadas para atuar exclusivamente nas praças e parques municipais, além dos tradicionais calçadões do Centro Histórico.

“O prefeito Emanuel Pinheiro determinou que fosse criado um programa exclusivo para manutenção das praças e parques. Nos últimos seis anos, quase 200 praças foram entregues e é preciso que haja uma regularidade na manutenção, para que esses equipamentos estejam sempre em bom estado de uso”, explica o diretor-geral da Limpurb, Júnior Leite.

O Pit Stop já alcançou, por exemplo, praças como Ipiranga, Alencastro, Maria Taquara, República, Mandioca, Bispo Dom José, Cai-Cai, Pedra 90, Alvorada, Jardim Araçá, Jardim das Palmeiras, entre outras. Além disso, os parques Saracura, das Águas, da Nascente, da Família, e calçadões Antônio Maria, Galdino Pimentel e Ricardo Franco, também foram atendidos.

Os trabalhos do programa estão divididos em duas frentes, sendo uma destinada para serviços considerados leves e outra para solução de demandas de maior complexidade. Entre as atividades executadas estão: manutenções no piso e calçadas, na iluminação pública, bancos, aparelhos de academia ao ar livre e playground, campo e quadra de esportes.

“A nossa preocupação é a de sempre atender a demanda por completo, somente dessa forma o trabalho será eficiente. Portanto, quando uma equipe é enviada para uma área de lazer, ela tem a obrigação de atender toda a estrutura. É claro que a durabilidade das manutenções sempre dependerá também do uso consciente da população”, finaliza Júnior.